Pessoas de 20 a 40 anos

Dificuldade de audição cresce entre pessoas de 20 a 40 anos

De acordo com o Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HCU-UFU), nos últimos dois anos, aumentou de 1,8% para 4% o número de pessoas entre 20 e 40 anos com dificuldades de audição. A principal causa das enfermidades é a contínua exposição a ruídos.
A fonoaudióloga Lucila França, responsável pelo Serviço de Atenção à Saúde Auditiva, disse que as queixas que os jovens têm levado para o consultório configuram casos antes observados apenas em pacientes com mais de 60 anos. “Eles reclamam de zumbido, tontura, o que é muito atípico. Como a perda é invisível, quando percebem, já existe lesão no nervo auditivo”. Desde 2007, o HCU realizou 8 mil adaptações de aparelhos auditivos, uma média de 200 por mês.
Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 120 milhões de pessoas no mundo têm a audição afetada pelo ruído. De acordo com a Sociedade Brasileira de Otologia, no Brasil, pelo menos 30% das perdas de audição têm a mesma causa, seja em ambientes ou situações profissionais e de lazer (como shows ou uso de aparelhos eletrônicos), bem como pelo aumento do nível de ruído em grandes cidades.
Lucila França afirmou que os principais agentes da perda de audição entre jovens é a utilização de fone de ouvido em intensidade e frequência elevadas e contínua exposição a som automotivo. Aliás, esse último é o tipo de ruído que mais motiva queixas na Polícia Ambiental. “O jovem não percebe que, ao agredir o ouvido do outro, prejudica a própria audição”, disse. Segundo a fonoaudióloga, o único tratamento para a perda de audição é a implantação de aparelho auditivo, independente do grau da enfermidade.

Deixe um comentário.

© Audiomax Santa Catarina.